Saiba quais mudanças devem acontecer no Facebook

Segundo Netflix, velocidade da Internet no Brasil é a menor desde 2016
6 de março de 2018

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, em sua página no facebook fez uma publicação comunicando um escândalo envolvendo uso indevido de dados de cerca de 50 milhões de pessoas. O mesmo, afirma que tem a responsabilidade de proteger as informações dos usuários e, que, caso não consiga fazê-lo, sequer deve servi-los. Além do escândalo, anunciou também três medidas que buscam reduzir o acesso de desenvolvedores terceiros a informações das contas dos usuários. Em sua publicação, Zuckerberg recorda que em 2014 foi anunciada uma mudança completa na plataforma, a fim de bloquear o acesso de desenvolvedores a dados de usuários. Ou seja, não poderiam mais solicitar informações sobre amigos, a não ser que o próprio autorizasse o app e os desenvolvedores teriam que solicitar permissão do Facebook para pedirem acesso a dados mais sensíveis. A publicação de Aleksandr Kogan, captou cerca de 300 mil usuários e de seus amigos e depois disponibilizou ilegalmente para a empresa de análise de dados Cambridge Analytica foi disponibilizada em 2013.

O que irá mudar?

Zuckerberg anunciou que algumas providências estão sendo tomadas, como por exemplo:

Investigação

– Investigar todos os aplicativos que tiveram acesso a uma grande quantidade de informações dos usuários antes da mudança de plataforma realizada em 2014;
– Audições em qualquer app considerado suspeito;
– Desenvolvedor que não concorde com a investigação, será banido inclusive aqueles que forem pegos por terem utilizado informações pessoais de forma irregular
– Pessoas afetadas por essas aplicações serão notificadas, inclusive aquelas que utilizaram o programa desenvolvido por Aleksandr Kogan

Restrição

– Restringir ainda mais o acesso de informações dos usuários por parte dos desenvolvedores de apps;
– Logar em um programa terceiro, será necessário informar somente nome, foto de perfil e endereço de e-mail;
– Desenvolvedores terão que ter aprovação e também assinem um contrato para solicitar acesso as suas postagens ou a outros dados privados;
– Ter mais alterações para compartilhar nos próximos dias.

Transparência

– Disponibilizará, acima do Feed de Notícias, uma ferramenta que informará as aplicações usadas e uma maneira fácil de revogar as permissões de acesso.
Esse recurso já existe, mas atualmente, fica escondido nas configurações de privacidade.

Entenda o porque dessas medidas

Na última semana, um ex-funcionário da empresa de análise de dados Cambridge Analytica denunciou que a companhia teria comprado as informações de milhões de usuários da rede social.
O fornecedor teria sido um pesquisador da Universidade de Camcridge, Aleksandr Kogan, que em 2013 criou um app chamado “thisisyourdigitallife” (está é sua vida digital), utilizado por
270 mil pessoas.  A política da plataforma permite aos desenvolvedores o acesso aos dados de amigos de usuários de apps apenas com fins de melhorar a experiência nos aplicativos. A venda dessas informações ou uso para publicidade é proibida e para complicar ainda mais a situação de Zuckerberg e seu time, as informações que foram obtidas pela Cambridge teriam sido usadas para um experimento de empresário norte-americano Steven Bannon. Em sua publicação, Mark Zuckerberg confirma que em 2015, souberam do caso através de jornalistas do The Guardian e baniram o app de Kogan da plataforma. Na última semana, veículos internacionais mostraram que talvez os dados não foram realmente apagados como informado. “Nós imediatamente os banimos de usar qualquer de nossos serviços; A Cambridge Analytica afirma que já deletou os dados e concordou com uma audição forense realizada por uma empresa contratada por nós para confirmar essa informação”, pontuou o CEO.

Fonte:

<a href=”http://techtudo.com.br”> techtudo.com.br </a>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: